quinta-feira, 19 de julho de 2012

Apenas Humana!

Olá leitores!

Após ler a primeira carta do Conto4Conto do Nestante, "Alô e Adeus" (CLIQUE AQUI), o meu amigo Samuel Jr resolveu escrever a versão dele para a resposta da Carolina para o Pedro. Abaixo vocês conferem como ele manda bem na escrita!


Já não sei quem domina meus pensamentos, mas desconfio que eu não seja, pois eles me invadem sem ao menos pedir licença. Tento afastá-los, tentativas frustradas que parecem alimentá-los mais e mais.
Sinto-me feliz e triste, completa e vazia, melhor e pior que antes, com a liberdade sempre sonhada e presa em minha solidão. Nós almejamos um ideal e quando o realizamos sentimos o vazio do que ficou para trás para chegarmos neste presente, já aconteceu com você sensação parecida?

É estranho saber que muitos esperam de nós certezas, uma vida sem erros, e prendemos nossos passos esperando não desapontar. E como eu fico em saber que ando por caminhos que não são meus, e meus caminhos serão meus? Já não sei o que esperar do amanhã, fico me torturando por erros passados. Divago se tivesse escolhido caminho diferente e o que visualizo era uma vida pior. Será uma defesa para meu erro, tornando-o assim um acerto? Mas e se o outro caminho fosse o caminho da paz, da felicidade? Ou serão estes sentimentos utópicos e meramente passageiros? 

Decisão não é apenas uma palavra, sabe, ela é ‘a’ vida, posso assim dizer. Houve um tempo em que não decidíamos, mas alguém decidia por nós, logo o decidir já estava presente moldando-nos e assim criando o ‘destino’. Nosso amanhã é apenas resultado. Concordo que a vida poderá nos presentear ou também nos bater, não é nossa decisão, mas logo abrirá um leque de novas decisões, “a vida dará as cartas, cabe a nós jogarmos o jogo”!

Entendo assim que jamais poderei reclamar ou me achar sofrida, ou que atraio as negativas do universo contra eu, sendo eu quem “joga o jogo”. Outra palavra forte é a dúvida: ela precede a decisão e, depois de decidido, ela continua atormentando, pois o ‘destino’ que escolhi foi necessário o sacrifício de outros (por medo, descrença, insegurança, ou pelo simples fato de achar que estava no caminho errado). Se errei o trajeto na bifurcação? Só saberei mudando a rota e indo à direção outrora rejeitada. Isto não significa retroceder, apenas tentar o que pode ser a escolha certa, depois de andar pela direção equivocada!

A cada momento que paro para refletir no rumo que minha vida está seguindo, sim é de extrema importância refletir você não acha? Percebo que em ‘cada etapa’ de nossa vida corremos atrás do que nos fará feliz, e a experiência nos mostra que sempre estamos indo na direção equivocada: bens materiais, reconhecimento pelos outros, é tudo efêmero. Temos que nos conformar que nosso tempo corre para o fim velozmente e ele encurta a linha de chegada a cada dia. Mais duas fortes palavras...

Não desejo que pense em minha carta resposta em sua totalidade, peço-te que na sua cama, no silêncio das insônias, dedique sua mente a estas quatro palavras que movem a vida: Reflexão, Duvida, Decisão e Experiência!

Ass. Carolina


Você pode ler mais textos dele AQUI!

Se vocês quiserem saber como ficou a minha versão da carta da Carolina para o Pedro, leiam o post abaixo! 

Até a próxima! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário